Colunas‎ > ‎Você que manda‎ > ‎

O que é melhor: fazer uma Universidade ou Plantar Tomates?

postado em 3 de out de 2011 15:17 por André Luiz Covre

 

“Um garoto de 13 anos de Croydon, no sul de Londres, inventou uma campainha, que ao ser acionada, faz uma ligação direta para o telefone celular. Laurence Rook já recebeu mais de 20 mil pedidos de compra e calcula que vai receber nos próximos meses cerca de 250 mil libras - quase R$ 650 mil reais”.[1]

Provavelmente, Laurence não completou o que seria referente ao ensino fundamental no Brasil, mas já é mais rico que a maioria das pessoas que se formaram em alguma universidade, o que leva instintivamente à questão: é preciso fazer um curso superior para se tornar rico?

E instantaneamente a resposta que vem à cabeça é: NÂO!  O que não quer dizer que seja fácil. Na verdade, não existem maneiras fáceis de ganhar dinheiro, excluindo as ilegais, obviamente. Todas requerem, de alguma forma, esforço, algum tipo de inteligência ou perspicácia, e talvez alguma sorte.

Para Laurence ter a genial ideia da campainha foi necessário que ele primeiro passasse por uma situação de desencontro, em que o correio não conseguisse entregar a sua encomenda. Além disso, foi exigido do garoto um nível de conhecimento que poucos da sua idade possuem, implicando a importância da autonomia conquistada pelas gerações atuais em relação a como transformar em conhecimento toda a informação abundante na atualidade, principalmente na internet. Pode-se dizer que o caso de Laurence é especial, principalmente pela sua precocidade.

Alguns exemplos clássicos são Steve Jobs, criador da Apple e Bill Gates líder da Microsoft. Mais próximos da realidade em que vivemos, temos brasileiros como Sílvio Santos, que construiu um Império sem nunca ter ingressado em uma Universidade, e Eike Batista que largou a faculdade de engenharia para se tornar o homem mais rico do Brasil na atualidade.

            Nos últimos exemplos citados é perceptível, principalmente, a necessidade de um caráter empreendedor para levar a frente projetos tão ousados, como largar a faculdade para montar a própria empresa, e também, um pouco do que alguns podem chamar de sorte (mas que é mais bem descrito como persistência para fazer a própria sorte), como no caso do Sílvio Santos, que já trabalhou até como camelô e se tornou tão rico quanto pôde.

            E você, acha que é preciso fazer uma Universidade para ficar rico, ou simplesmente saber como plantar tomates?

 Fabiana Ribeiro

Comments