Colunas‎ > ‎E por falar nisso...‎ > ‎

Situação: Reprovado

postado em 3 de out de 2011 14:26 por André Luiz Covre

Pedro Borges (Aluno do 4° período do BC&T/UFVJM)

            Costumava escrever mais, pois é um ótimo hobbie e liberta a mente dos grilhões da perspectiva unilateral do pensamento (bonito isso né?! mas falemos disso em outro texto). O que me motivou dessa vez, o que me deu a ideia de guinar minha mente rumo a uma atividade produtiva foi ele... Sim! Ele: o velho conhecido de todos nós (professores e alunos da UFVJM): o Sistema Integrado de Gestão Acadêmica.

A dinâmica da vida universitária é deveras interessante, principalmente para quem a vivencia por semestres. Cada período, em geral, é bem diferente do outro, como se fossem micro-anos que passam com a velocidade de um ano inteiro e que, ao final do período, te levam à morte. Isso mesmo, você morre, seja academicamente, seja socialmente. Você morre! Morre porque, se você quiser recomeçar tudo isso de um jeito completamente diferente, você pode. Vivemos em uma cidade na qual quase 90% das pessoas que conhecemos não são daqui, e vão para suas casas, assim como nós, no fim do semestre. Portanto é perfeitamente possível construir novos recomeços em outra cidade, em outra faculdade, com outras pessoas. Enfim, a vida universitária te permite morrer e renascer inúmeras vezes.

            “Esse período foi tenso”, é o que se escuta, toda hora, pelos corredores do pavilhão e afins. Para mim, particularmente, foi muito tenso.

Coisa engraçada aconteceu comigo dias atrás. Uma situação que seria cômica se não fosse trágica. Ao voltar de uma noite inteira de estudo (e você pensando que eu ia dizer farra, hein?), me encontrei, na rua, com um amigo, na verdade, dois, três... Meu Deus! Todos de mochilas nas costas, quase como em uma marcha fúnebre pelas ruas de pedra. Cadernos em mãos, caras cansadas e sangue repleto de café. Ao ver essa cena meus lábios esboçaram um sorriso, mas recuei quando percebi que também estava no meio do desfile dos desesperados. Acabei sorrindo de qualquer forma.

Mas é de praxe o desânimo, e ele vem, com certeza. Até o miojo com creme de leite perde o sabor (mãe, saudade! S2), e até as baladas não têm a mesma graça. Seja por qualquer motivo, mas principalmente pelo esforço aplicado em vão, porque quando você vai verificar suas notas, e clica naquele pequeno sinal de “+” o Sistema Integrado de Gestão Acadêmica imprime para você:

“Situação: Reprovado”

Clicamos indiscriminadamente no sinalzinho de “mais” (eu o enxergo mais como uma cruzinha) para abrir as notas das matérias que fizemos, sem saber (ou sabendo) que estamos na verdade cavando o nosso próprio túmulo (coincidência ou não “cruz” também simboliza a morte, ao menos nas lápides dos túmulos nos cemitérios). E quando o resultado não é satisfatório vem a “lezera” (como diria um amigo meu).

Passei por isso este período (primeira vez) e de fato não desejo pra ninguém essa sensação. Mas quando estava para sair do Sistema Integrado de Gestão Acadêmica, eis que o próprio vem se comunicar comigo, por meio de uma mensagem clara e até chamativa, feita de letras em cores fortes e em caixa alta:

SIGA

            SIGA porque não há mais nada o que fazer, SIGA porque seu desempenho foi excepcional, SIGA porque tudo pode melhorar no período que vem. Não importa o problema desse período, SIGA porque a pior coisa que pode ser feita é estagnar, porque parando você é afogado por seus problemas e, acredite, eles (os problemas) se reproduzem de maneira impressionante. Como bactérias em Agar (Como diria o Geraldo Vandré: “pra não dizer que não falei das flores biológicas”)

E ele permanecerá lá, sendo xingado ou abençoado, ouvido ou ignorado. Mostrando a verdade nua e crua, doa a quem doer, como um oráculo quebrado, mas indiscutivelmente sábio. Um oráculo de uma só palavra. Curto, desferindo-a incondicionalmente:

SIGA

Comments